“Ela tinha medo que desse errado, eu tinha medo que desse certo.”
Soulstripper. (via evidencias)
“Você continua sendo aquela coisa que me complica e me confunde, ou melhor, aquela incógnita que eu nunca vou conseguir entender. Desde os dezesseis pré dezessete anos você me leva a loucura, vai fazer dezenove e nada mudou. Quer dizer, você mudou o jeito de se vestir e gosta de prender o cabelo. Se bem que, Robin, sempre te falei que o rabo de cavalo te dava um charme principalmente porque sua pinta de coração no pescoço aparece, então você deve ter seguido meu conselho. Mesmo que você tenha o maior orgulho do mundo em dizer que meus elogios não te fazem arrepiar nem aqueles pelinhos transparentes na nuca. Acho que algum desses dias tu vai ser engolida pelo teu orgulho, ou vai deixar ele agarrar sua mão quando você for atravessar a rua. A pior coisa é esse seu jeito, Robin, de quem acha que sabe de tudo e se engana com a maioria das coisas. Mas finge que nem se abala porque se amarra em ser a dona da razão de quem sempre tá certa em tudo. Até quando você tá errada tenta contornar a situação até o lado errado ser meu. E eu me disponho a ser sempre o que você diz que nunca quis, enquanto você continua fingindo que não se arrepia. Só porque mesmo depois desse tempo todo eu continuo querendo te resolver, e porque toda vez que você larga seu orgulho, segura na minha mão. E ahhh, Robin, nessa hora eu te conheço tanto que chego até a me desconhecer. Mesmo que no dia seguinte você queira escrever outro capítulo da sua vida me excluindo do seu “livro”, eu continuo aqui porque quase todas as vezes você me coloca como título. Você pode continuar mudando seus vestidos e penteados, até mesmo seus sapatos, contanto que o título continue não mudando. Porque eu posso ser sempre indeciso e incerto, mas se tem uma coisa que eu posso te dar certeza… É que as tuas idades vão mudar, e você vai continuar me enlouquecendo.”
robin and stubb. (via tajmahhal)
“E como ela conseguiu amarrar ele? Simples. Nenhum amigo de bar enxerga que a insegurança dele combina com a vontade de cuidar das pessoas que ela tem. Que ambos querem ter uma filha um dia, e até pensaram no mesmo nome. Que ela prefere fazer amor sábado à noite ao invés de frequentar lugares fechados. Ele vê que ela se preocupa quando ele trabalha até tarde ou demora para chegar. Que os dois gostam de vinho demi-sec, curtem voleibol, cachorro-quente de carrocinha e a novela das oito. Que ela ri quando ele gagueja em uma discussão, não se importa dele ser meio calado e reconhece nele um cara engraçado e carinhoso.”
Gabito Nunes  (via tajmahhal)
“Saudade é amar um passado que nos machuca no presente. É uma felicidade retardada. É deitar na rede e ficar lembrando das ardentes reconciliações depois de brigas homéricas por motivos desimportantes. Sente-se falta de detalhes, como uma toalha no chão, dias chuvosos, da cor dos olhos. A saudade só não mata porque tem o prazer da tortura.
Saudade é o amor que não foi embora ainda, embora o amado já o tenha feito. Ter saudade é imaginar onde deve estar agora, se ainda gosta de vinho bordeaux, se chorou com a derrota do Grêmio no campeonato nacional, se tem tratado aquela amigdalite. E quando a saudade não cabe mais no peito, se materializa e transborda pelos olhos.
Sentir saudade é ter a ausência sempre do seu lado. É mudar radicalmente a rotina, comer mais salada e menos sorvete, frequentar lugares esquisitos, ter dias mais compridos, ter tempo para os amigos, para o vizinho e para a iguana do vizinho. A saudade é a inconfortável expectativa de um reencontro.
Às vezes a saudade é tão grande que nem é mais um sentimento. A gente é saudade. É viver para encontrar o olhar da pessoa em cada improvável esquina, confundir cabelos, bocas e perfumes, sorrir com os lábios tendo o coração sufocado. Porque mesmo a saudade sendo feita para doer, às vezes percebemos que ela é o meio mais eficaz de enxergar o quanto amamos alguém, no passado ou no presente.
Por que a saudade é o muro de Berlim desmoronado no chão, capaz de agregar opostos, como a tristeza e a felicidade em uma coisa híbrida. Se você tem saudade é sinal que teve na vida momentos de alegria com ela ou ele! No fim das contas, a saudade que agora lhe maltrata nada mais é que uma dívida sendo paga em longas 36 prestações pelo amor usufruído. Agora aguenta.”
Gabito Nunes. (via tajmahhal)

Cheguei em um nível de preguiça tão alto que eu não quero fazer nem as coisas que eu quero fazer.

"n gosto de vc" "n sou capim p agradar vaca"

A previsão do tempo diz q vão existir pancadas nessa tua cara de cachorra se chegar perto do q é meu

não sou pelos que falam, sou pelos que agem, desejo a todos paz, amor e muita sacanagem

“Conheço ele na casa de uma amiga. São ao todo oito homens solteiros, felizes e solícitos. Mas ele, estranho, reservado e tentando há horas estabelecer uma conversa com o gato da casa, me chama a atenção. Aquele alí é?? Xiii, Tati, encrenca. Mesmo? Tem certeza? Absoluta. Encrenca das grandes. Não me dou por satisfeita.Preciso saber mais. Descubro que ele já saiu com a irmã de um grande amigo. Na segunda ligo pra ele. E sua irmã? Casou. Mesmo? Foi. Mas e o?? Xiiii, Tati, encrenca. Mesmo? Nossa, bota encrenca nisso. Das grandes, amiga. Certeza? Posso confiar? Pode. Sei bem o que tô te falando. Mas se você estiver com dúvida, sabe a Ana? Então, a prima dela já saiu com ele. Jura? Juro. Na terça ligo pra Ana. E sua prima? Ah, menina, toda feliz, morando em Londres. Mas ela já saiu com o.., não saiu? Xiiiii, nossa, nem fala esse nome pra ela, nossa, EN-CREN-CA. Das bravas. Das grandes.Mesmo? Olha, tô pra ver encrenca maior. Mas se você tiver com alguma dúvida, o Beto, sabe o Beto? Foi chefe dele. Na quarta ligo pro Beto. E, aí, cara? Tudo certo? Certíssimo. Tô grávido do segundo moleque. Que beleza. Mas me fala, você já foi chefe do?? Menina, nem me lembra disso. Uma puta encrenca, viu. Olha, prefiro nem tocar nesse assunto. Mesmo? Sério. Mas olha, quem pode te falar melhor é o Dr. Ricardo.Tratou ele ano passado. Mesmo? Ele foi no Dr. Ricardo? Pra você ver o tamanho da encrenca. Na quinta ligo pro Dr. Ricardo. Sei como são essas coisas de discrição médica. Mas?e o?? Tati, não vou te falar nada, é antiético, você entende, né? Mas como você é minha amiga, vou te falar só uma coisa: o cara é a maior encrenca da cidade. Talvez do país. Mesmo? Mesmo. Mas se você tiver com alguma dúvida, minha irmã mais velha, a Fabi, fez faculdade com ele. Na sexta ligo pra Fabi. E aí, gata?Menina, quanto tempo! Faz mesmo. E você? Algum paquera novo? Sim, tô noiva! Jura! Juro! Mas e o?ouvi dizer que vocês estudaram juntos já. Ah não! Esse assunto não! Pô, mó vibe. Tati, olha, esse cara redefiniu pra mim o conceito de encrenca. Manja “A” encrenca. Então. Mas se você tiver alguma dúvida?não, não tenho mais dúvida nenhuma. Chega. Já ouvi tudo o que eu precisava. No sábado ligo pra ele, coração disparado, não é sempre que encontramos alguém tão bem recomendado.”
Tati Bernardi.   (via fixness)
“Eu sabia que ele gostava de mim, e ele sabia que eu gostava dele também. E nos gostávamos assim, sem falar, sem demonstrar. O sentimento nascia e morria todos os dias dentro dos nossos olhos.”
A culpa é mesmo das estrelas?    (via shesfix)
“Quero alguém que cuide de mim. Que seja a casca da minha laranja, e não a metade. Porque ninguém é perfeito, mas toda parte que nos falta está em uma pessoa por aí. Quero alguém que sussurre segredos clichês no meu ouvido. É, clichês, você ouviu bem. Com serenatas, beijo na mão e tudo mais. Quero alguém que eu possa contar em todas as horas, que seja mais do que fiel. Mas também quero alguém que pise na bola. Alguém que consiga me quebrar e juntar todas as pecinhas de novo. Que possa me fazer, refazer, revirar e tornar tudo como estava. Alguém que deixe cicatrizes, mas que cure-as depois com um simples beijo. Quero alguém que me embriague com a dor e com o amor, que me faça transbordar de felicidade e tristeza ao mesmo tempo. Alguém que destrua todas as formas de sentimento que eu já tenha imaginado. Que mude por completo minha vida, mesmo que ainda continue sempre no mesmo lugar. Que me leve pra China, Inglaterra e Grécia só de me acompanhar a vista do pôr do sol. Alguém que grife as partes preferidas de um livro. Que leia por prazer, apenas por gostar de fazê-lo. Alguém que tenha um gosto musical bom, mesmo que diferente. Que não ligue pra aparência, e que não fique se olhando no espelho a cada cinco minutos. E um detalhe especial: tem que gostar de chá. Chá de amor, de fé, de poemas. Tem que ter minha foto na carteira, no quarto, e até no armário da faculdade. Tem que saber colocar atitude nas coisas, perseverar. E depois de tudo isso, tem que aprender a me aguentar. Mas quer saber? Que se dane essa coisa toda de sonho. Eu quero alguém que fique do meu lado pro que der e vier, sem me deixar para trás. Já é de bom tamanho.”
I could use somebody. Craquelar.   (via shesfix)
“Ela gostava quando, depois de muito tempo calada, ele pegava no seu queixo perguntando ― o que foi, guria? Ele gostava quando ela dizia sabe, nunca tive um papo com outro cara assim que nem tenho com você. Ela gostava quando ele dizia gozado, você parece uma pessoa que eu conheço há muito tempo. E de quando ele falava calma, você tá tensa, vem cá, e a abraçava e a fazia deitar a cabeça no ombro dele para olhar longe, no horizonte do mar, até que tudo passasse, e tudo passava assim desse jeito. Ele gostava tanto quando ela passava as mãos nos cabelos da nuca dele, aqueles meio crespos, e dizia bobo, você não passa de um menino bobo.”
Caio Fernando Abreu.   (via lucaspatek)
“E como ela conseguiu amarrar ele? Simples. Nenhum amigo de bar enxerga que a insegurança dele combina com a vontade de cuidar das pessoas que ela tem. Que ambos querem ter uma filha um dia, e até pensaram no mesmo nome. Que ela prefere fazer amor sábado à noite ao invés de frequentar lugares fechados. Ele vê que ela se preocupa quando ele trabalha até tarde ou demora para chegar. Que os dois gostam de vinho demi-sec, curtem voleibol, cachorro-quente de carrocinha e a novela das oito. Que ela ri quando ele gagueja em uma discussão, não se importa dele ser meio calado e reconhece nele um cara engraçado e carinhoso.”
Gabito Nunes.  (via esplandecer)

suffixyou